28 de mai de 2012

MAIA


"Quando sua mente é pura, você vive em um universo puro; quando você é capturado por idéias de ganho e perda, vive em um mundo de ilusão."
 
(Jisho Cary Warner, em “Tricycle: The Buddhist Review, Vol. III” - foto: Ponte da Lua, em Taipei, pelo usuário do Flickr bbe022001)

27 de mai de 2012

PENSAMENTO DE DOMINGO


Quem conhece o Caminho não precisa de estradas.

15 de mai de 2012

MORDA A LÍNGUA


Um dia os vizinhos João e José tiveram uma discussão. Para se vingar, João começou a espalhar o boato que José era um ladrão. A história se espalhou rapidamente pelo vilarejo chegando eventualmente aos ouvidos das autoridades que prenderam José para investigar.
 
Mas como em sua investigação a polícia não encontrou nem o produto nem as vítimas dos supostos roubos, José acabou sendo libertado, e por conta de todo o sofrimento e humilhações a que foi sujeito pelas calúnias de João, decidiu processá-lo.
 
No tribunal, João defendeu-se dizendo:
 
- Foram só palavras, não fiz mal algum... sou inocente!
 
- Escreva suas "palavras" numa folha de papel, depois pique em 100 pedaços e os espalhe pelo vilarejo. Volte aqui em uma semana. - disse o juiz.
 
João fez como ordenado, voltando à presença do juiz na semana seguinte.
 
- Agora, para ser inocentado, traga de volta todos os 100 pedaços de papel que espalhou pelo vilarejo. E que não falte nem um.
 
Moral da história: SEJA SENHOR DE SUA LÍNGUA PARA NÃO SE TORNAR ESCRAVO DE SUAS PALAVRAS.
 
(Parábola Zen, livre adaptação - foto de Igor Siwanowicz)

8 de mai de 2012

VOSSOS FILHOS


"Vossos filhos não são vossos filhos.
São os filhos e as filhas da ânsia da vida por si mesma.
Vêm através de vós, mas não de vós.
E embora vivam convosco, não vos pertencem.
Podeis outorgar-lhes vosso amor, mas não vossos pensamentos,
Porque eles têm seus próprios pensamentos.
Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas;
Pois suas almas moram na mansão do amanhã,
Que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho.
Podeis esforçar-vos por ser como eles, mas não procureis fazê-los como vós,
Porque a vida não anda para trás e não se demora com os dias passados.
Vós sois os arcos dos quais vossos filhos são arremessados como flechas vivas.
O arqueiro mira o alvo na senda do infinito e vos estica com toda a sua força
Para que suas flechas se projetem, rápidas e para longe.
Que vosso encurvamento na mão do arqueiro seja vossa alegria:
Pois assim como ele ama a flecha que voa,
Ama também o arco que permanece estável."
 
(Gibran Khalil Gibran - foto de Tucker Bair)