19 de out de 2008

ENOJANTE


Enquanto o mundo debate a crise financeira, e assalariados em todo o globo temem por seus pífios rendimentos, em Munique um abjeto clã desperdiça milhões em superfluosidades de luxo porque pode. E só porque pode. A feira se propõe a oferecer "uma cornucópia dos bens mais luxuosos e belos que o mundo tem a oferecer", nas palavras de um dos expositores. Os aperitivos oferecidos aos visitantes (como não poderia deixar de ser) incluem caviar e champagne... que maravilha!

"É uma demonstração obscena de uma riqueza perversa", descreve Walter Listl, do Fórum Social Mundial, e acrescenta: "Os ricos são a causa da pobreza." Não poderia ter dito melhor, se ponderarmos que a cada cinco segundos, uma criança morre de malnutrição no mundo - e isso já não é privilégio dos países pobres: a miséria bate à porta do G7 e só tende a se agravar com a ganância e voracidade sustentados pela antropofagia capitalista.

Com o slogan "Sua riqueza nos deixa doentes", centenas de manifestantes se concentram do lado de fora do "salão das maravilhas". Seu objetivo é menos intimidar os "riquinhos" e aspirantes a riquinhos, mas sim chamar a atenção para a questão da miséria no mundo.

Até porque, convenhamos, essa laia há muito já perdeu a vergonha na cara. Se duvida, observe a flutuação nas bolsas: todo esse sobre e desce que assistimos é mera decorrência da usura e da ganância desenfreada de indivíduos pra faturar um pouco mais, por medo que a vaca leiteira seque.

Como um Robin Hood às avessas, os governos seguem injetando bilhões que seriam melhor destinados a questões sociais pra tapar os buracos que essa gentalha continua abrindo; literalmente tirando dos pobres para dar (ainda mais) aos ricos.

Não é a toa que o homem que tem uma fortuna pessoal que ficaria em 165° lugar entre os PIBS de todos os países do mundo é um especulador da bolsa de valores.

E ainda tem gente que se espelha nessa escória.

Bah!

17 de out de 2008

WHO LET THE DOGS OUT?!


Ontem, mais uma vez, o (des)governo Yeda deu mostras de competência e capacidade de reagir com rapidez num momento de crise. No melhor estilo "na dúvida, porrada neles", o cel. Mendes (que em off já responde pelo codinome Coronel Nascimento) soltou os cachorros nos bancários e sobrou cacetada e bala de borracha pra tudo quanto é lado.

Proponho uma ação no PROCON contra o marketing de campanha da (des)governadora por propaganda enganosa: esse "novo jeito de governar" a gente já conhecia desde antes da proclamação da República.

16 de out de 2008

O SEQUESTRO DE SANTO ANDRÉ

O drama, todo o Brasil vem acompanhando:




O que realmente me espanta é que os pais tenham permitido que sua filha criança de 12 anos atasse namoro com um rapaz de 19. Em qualquer país civilizado isso seria tachado como pedofilia.

Já tratei desse tema anteriormente - na época sobre um caso com um desfecho que não desejo para a jovem Eloá (ver o artigo Falando Sério, neste mesmo blog.

Vou continuar repetindo até que pais, amigos, professores e vizinhos entendam: "namoro" para meninas abaixo dos 16 anos só é namoro quando o garoto é da mesma faixa etária - no máximo dois anos mais velhos (e olhe lá, porque entre os 12 e os 18 anos as mudanças são tantas e tão radicais que mesmo meses podem representar anos). Criança de 12, de 14 anos envolvida com rapaz de 18, de 20 anos é PE-DO-FI-LI-A.

Pedófilo não é só aquele velho lascivo se esgueirando por trás dos arbustos nos playgrounds, nem tampouco só o enrustido sentado por trás do computador; a pedofilia não atinge somente crianças até os 8, 9 anos. Há uma idade legal e socialmente aceita que ronda os 16 anos para meninos e meninas. E em meninos e meninas saudáveis (tirando ou botando um ano) é a época em que se desenvolvem os hormônios e o cérebro está preparado para começar a "grande aventura amorosa". Mesmo estando aparentemente desenvolvida (com seios, trejeitos e tudo o mais) a capacidade intlectual e emocional de uma criança de 14 anos está muito, mas muito longe da maturidade.

O envolvimento diário, profundo com uma pessoa mais velha só pode - e é de fato - profundamente nocivo para o crescimento emocional dessas meninas, cujas personalidades em formação se deformam para acomodar os gostos e vontades da pessoa mais velha.

A própria Eloá andava afastada dos amigos, não é o que dizem? Esse foi, para ela, o ponto de ruptura: um certo dia, Eloá acordou e descobriu que enquanto seus colegas de escola viviam a plenitude de sua adolescência, ela se achava espremida contra uma maturidade para a qual não estava preparada e na qual não desejava ainda ingressar. Optou pelos amigos. O amo e senhor de suas vontades não aceitou. Deu no que deu.

Outra vez, meu recado aos pais: enfiem isso na cabeça e começem a desempenhar seus papéis de pais e educadores de uma vez por todas. É chato, dá trabalho e inclui, muitas vezes ir contra a vontade dos filhos. Mas no futuro dá resultados.

15 de out de 2008

EFEITOS DA GLOBALIZAÇÃO


Eu ontem acordei com uma pulga atrás da orelha (ai ai ai... minha sina!): ao ver os números astronômicos lançados na lamaçeira da jogatina dos especuladores, começei a me perguntar a quantas anda, de fato, a economia mundial.

Fiquei cismando a que ponto teriam os grandes conglomerados ultrapassado as economias de países pequenos ou emergentes... e as grandes fortunas? A quantas andam a essa altura de super-valorização da moeda em detrimento de tantos outros valores como a justiça social, a distribuição de renda, a igualdade de oportunidades, etc etc etc... Quantos PIBS de países a fortuna pessoal de uns poucos indivíduos já ultrapassou?

Arregaçei as mangas, e depois de muito fuçar aqui e ali, fiz algumas descobertas interessantes:

Você sabia que, em termos de receita bruta em 2007 a Wal-Mart ocupa a honrosa 25ª posição nas economias do mundo, colocando-se acima do PIB de países como a Arábia Saudita e a Áustria?

A Dinamarca é um país rico, certo? Pois bem, a Exxon Mobil e a Royal Dutch Shell são ainda mais ricos!

E que tal Hong Kong? Vamos lá, dê um chute... Deve ser maior que a Toyota, não? Pois não é. Não é sequer maior que a Chevron. Pelo menos Portugal é maior que a Chevron, mas ainda perde pra Toyota.

Com algum incremento no PIB, talvez nossa hermana Colômbia encoste na Ford.

Isso pra não falar do Peru, que tem uma economia menor que a receita do Carrefour, que, por sinal, é maior que o PIB do Kuwait também, mesmo com todos os seus petrodólares.

Começou a ficar nervoso? Você ainda não viu nada!

A maior fortuna pessoal do mundo (um cara chamado Warren Buffet) se constitui num patrimônio maior do que o PIB de países como Angola, Croácia, Luxemburgo, Equador... e por aí vai, porque no ranking geral, o senhor Buffet ocupa do 165°lugar - o que não é nada, mas nadinha, pouco, pode crer.

Bill Gates? Vale mais que a Líbia.

A France Télécom dá de pau em Bangladesh com seus mais de 158 milhões de habitantes.

Isso eu constatei só dando uma olhada. Nem me preocupei em fazer cruzamentos, em somar e dividir coisas aqui e ali. Deixo isso com você. Ou talvez eu retorne ao tema, já que dá pano pra muita, mas muuuuuuita manga.

Eu fiz uma tabela (o link tá logo abaixo deste post); pra você analisar e se divertir (ou deprimir) com esses fatos que estão bem estampados na cara de todos nós, mas que sempre são colocados separadamente, de forma que a gente não associe uma coisa a outra e constate que a cada ano que passamos lutando contra a maré das adversidades e buscando nossa felicidade e metas pessoais, mais se fortalecem os grandes conglomerados, mais se concentram as riquezas, e menos valem os poderes locais "democraticamente" constituídos. Porque, ao fim e ao cabo, na hora do aperto quem manda é o capital.

A tabela você encontra aqui.

E VIVA O GRANDE IRMÃO!...?

8 de out de 2008

AINDA SOBRE A 116


As três obras emergenciais prometidas pelo Governo do Estado pra pelo menos aliviar o caos da BR 116 ainda neste segundo semestre nem saíram do papel.

A última informação que tivemos do Dnit, na semana passada, dava conta de um problema com a licitação para essas obras. As empresas interessadas não haviam respondido a um quesito no edital que exige experiência na produção de concreto armado. (Ronaldo Zulke)

A Zero Hora procurou o Hilderaldo Caron (pra quem não sabe, diretor de infra-estrutura rodoviária do DNIT) que estava, segundo sua assessoria, muito ocupado pra responder sobre o assunto.

Puxa, que coisa! TODAS as concorrentes esqueceram de preencher o mesmo tópico do edital... mas que azarão, hein senhor diretor! Se não fossem as empreeiteiras e o governo do Estado tão bem intencionados no que tange à BR 116, eu até ia desconfiar.

Nah... devo estar ficando paranóica: não se faz política assim no Rio Grande... não é?

7 de out de 2008

EMPURRANDO COM A BARRIGA


Foram os municípios da Região Metropolitana, particularmente Canoas, Esteio e Alvorada que cresceram ao redor da BR?

Ou foi a incompetência de décadas de gestores míopes que se limitou a seguir o crescimento vegetativo de uma antiga rota de carroças que ligava o Vale dos Sinos e a Serra à capital?

No trecho que liga Porto Alegre a Novo Hamburgo, a BR 116 deveria funcionar como uma estrada vicinal, já que cruza as zonas urbanas de vários municípios; não mais do que uma opção para a circulação local de veículos de passeio e de pequeno porte; nunca a artéria da qual depende a economia do Estado como um todo.


O fato é que a BR 116 está no limite. O trecho de Canoas é o maior gargalo em rodovias no Brasil, sendo recordista de trânsito de veículos, de acidentes e mortes.

Segundo especialistas, em três anos a rodovia terá atingido seu ponto de saturação, e os congestionamentos que vemos em horários de pico se estenderão pelo dia e pela noite.

O que vai resultar em mais acidentes e mais mortes evitáveis.

Qual a solução?

O Polão defendido pelo Governo do Estado e concessionárias, ou o Anel Rodoviário, defendido pela Assembléia e pelos prefeitos e políticos da região?

A questão remete, como sempre, à promiscuidade entre interesses privados e a administração pública.

Senão, vejamos:

Em 18/08/1997 o Poder Executivo do Estado aprovou a Lei n° 10997, que estabelecia a concessão da operação, conservação, manutenção, melhoramentos e ampliação de diversos trechos de rodovias estaduais à iniciativa privada.

Detalhes deste projeto podem ser vistos aqui.

Em 2005, foi criada a Comissão de Representação Externa sobre o Anel Rodoviário Metropolitano, predisida pelo petista Ronaldo Zulke.

Em 06/06/2005, em audiência pública realizada com prefeitos e vereadores dos municípios envolvidos, a Comissão ressaltou que:

As prefeituras analisam duas alternativas para o problema do esgotamento da rodovia federal: o Pólo Metropolitano (Polão) e o Anel Rodoviário. O Pólão reúne em torno de 200 quilômetros de estradas já existentes - as BRs 116 e 386 e a RS 118 - e futuras, com prolongamentos e duplicações. Em troca das obras, o projeto estabelece a implantação de quatro praças de pedágio na BR 116. Já o Anel Rodoviário prevê a construção de duas vias expressas paralelas à BR-116, ligando Porto Alegre a Novo Hamburgo - uma pelo lado Leste e outra pelo Oeste.

O diretor do Grupo Editorial Sinos, Miguel Schmitz, defende a segunda opção. Ele argumenta que a Rodovia do Progresso, como é chamado o Anel Rodoviário no Vale do Sinos, é mais barata que o Polão e que está sendo amplamente debatida com a comunidade. Lembra também que o Pólo Metropolitano prevê a instalação de praças de pedágio na BR 116 10 anos antes das obras iniciarem. "As obras não iniciarão imediatamente, mas a cobrança de pedágio sim", frisou.

O prefeito de Novo Hamburgo e ex-secretário de Transportes do Rio Grande do Sul tem opinião semelhante. Jair Foscarini defende o andamento do projeto do Anel Rodoviário e alerta para a contrapartida inviável do usuário, prevista no Polão. "Os pedágios do Polão assustam. Quem se deslocar, diariamente, de Portão a Porto Alegre irá gastar mais de R$ 200,00 por mês", contabilizou.

Lideranças da região Metropolitana e do Vale do Sinos alegam, ainda, que a instalação de praças de pedágio na BR 116 irá promover mais congestionamentos. "Não há espaço para isso. O Polão não resolve o problema da baixa fluidez do tráfego e nem da falta de segurança da rodovia", apontou o Clelói Bassani, vereador de Novo Hamburgo.


Havia, portanto, entre os representantes políticos da região, clara preferência pelo projeto do Anel Rodiviário (ou Rodovia do Progresso).

No dia 29 de agosto do mesmo ano, a Comissão ouviu o Secretário dos Transportes, Alexandre Postal, que declarou que "nenhuma ação será tomada para desafogar o trânsito na BR-116 enquanto o Ministério dos Transportes (MT) não anunciar se aprova ou não a licitação que prevê a execução do Complexo Rodoviário Metropolitano (Polão)" - leia-se a concessão a um consórcio privado prevista na Lei n° 10997.

Isso apesar de prefeitos e representantes da região terem se manifestado contra tanto o traçado quanto o custo dos pedágios do "polão".

Ao final da reunião, Zulke afirmou: Vamos pressionar para que o MT assinale para a revogação da licitação do Polão já na próxima reunião. Assim, estaremos nos encaminhando para a conclusão de nossos trabalhos e para a solução dos problemas da BR-116.

Em 21/07/2006, saia na imprensa:

A batalha jurídica travada entre o Consórcio Metropolo (Andrade Gutierrez S/A, Camargo Correa S/A, Sultepa S/A, Brasília Guaíba Obras Públicas S/A, Toniolo Busnelo S/A Túneis, Terraplanagens e Pavimentações) e o Ministério dos Transportes pela exploração das estradas federais abrangidas pelo Complexo Rodoviário Metropolitano do Rio Grande do Sul chegou ao Superior Tribunal de Justiça na forma de mandado de segurança com pedido de liminar contra ato do ministro dos Transportes que revogou o processo de licitação vencido pelo referido consórcio.

O presidente em exercício do STJ, ministro Francisco Peçanha Martins, não acolheu o pedido de liminar impetrado pelo consórcio e determinou que os autos sejam remetidos à ministra Eliana Calmon, relatora do processo, após o término do período de férias forenses. Assim, os efeitos da Portaria 42 editada pelo Ministério dos Transportes no dia 17 de março de 2006 continuam valendo até o julgamento final da presente ação de mandado de segurança. Em seu despacho, o ministro sustentou não vislumbrar qualquer circunstância que justifique a apreciação urgente da medida.

(...)De acordo com os autos, a exploração das referidas estradas federais foi transferida pelo governo federal ao estado do Rio Grande do Sul em 1997, pelo Convênio de Delegação número 003/97. No mesmo ano, o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem do Estado (DAER/RS) publicou edital de concorrência (350/97) para a concessão do Complexo Rodoviário.

A licitação foi vencida pelo Consórcio Metropolo em dezembro de 1998. Em julho de 2000, o governo federal cancelou o Convênio de Delegação e retomou a administração das rodovias. O processo de licitação foi retomado em 2001, agora no âmbito federal, e concluído em 2002, quando o ministro dos Transportes teria determinado sua homologação e a adjunção ao Consórcio vencedor – no caso a Metropolo.

Em 2004, acatando determinação do Tribunal de Contas da União (TCU), o Ministério solicitou a elaboração de estudo de viabilidade pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Em março de 2006, o Ministério dos Transportes editou a Portaria 42 revogando a concorrência de outorga das rodovias (350/97).


De lá pra cá, mudou o Governo do Estado, mas a orientação permanece a mesma: nada será feito pela BR 116 se não for por via de um consórcio privado. É o velho truque de empurrar com a barriga até que a coisa fique tão osca que a gente aceite qualquer proposta que o governo se dignar a apresentar. Nesse meio tempo, a Andrade Gutierrez, a Camargo Correa, a Sultepa, a Brasília Guaíba Obras Públicas e a Toniolo Busnelo ficam de molho, torcendo que a coisa vá de mal a pior pra nós.

Enquanto isso, cenas como esta se repetem a cada minuto ao longo da rodovia:



Até quando?

6 de out de 2008

DEIXANDO A HISTÓRIA

Você foi saindo de mim
Com palavras tão leves
De uma forma tão branda
De quem partiu alegre

Você foi saindo de mim
Com sorriso impune
Como se toda faca
Não tivesse dois gumes

Você foi saindo de mim
Devagar e pra sempre
De uma forma sincera
Definitivamente

Você foi saindo de mim
Por todos os meus poros
E ainda está saindo

Nas vezes em que choro
Nas vezes em que choro

Você foi saindo de mim.


Maluf 6%. ACM Neto 26%, mas fora do 2° turno.

Você já vai tarde... Bye bye...

E LÁ VÃO ELES!

Agora é definitivo: ontem à tarde os 399 pinguins que sobreviveram à epopéia nos trópicos brasileiros foram finalmente devolvidos ao mar.

Ufa!

5 de out de 2008

30 ANOS DE SPAM


Uma mensagem enviada em 1978 por um encarregado do marketing da companhia DEC para ceca de 400 pessoas na Costa Oeste dos Estados Unidos é considerada o primeiro spam da história. A empresa já nem existe mais, mas o spam pegou.

De 2004 para 2008, saltou de 40 para 80% do total de emails enviados pelo mundo a fora.

De fictícias instituições em busca de herdeiros de fortunas mirabolantes a toda a sorte de panacéias para a impotência, emagrecimento e ejaculação precoce; passando por diplomas universitários, réplicas de Rolex vale tudo. E tem gente que cai. 12% dos americanos já caíram por uma dessas barbaridades. Teve gente que morreu por consumir falsas pílulas e emagrecimento.

Tem como se livrar disso? Não. O spam, como tudo de bom ou ruim que veio com a internet, veio pra ficar. As "soluções" oferecidas por softwares e servidores de email são tão ilusórias quanto as ofertas miraculosas do spam. A única saída para nós é deletar sistematicamente essas mensagens.

Fico com o sketch do Monty Python que inspirou o emprego do termo para designar o que até então atendia pelo nome de "correspondência não solicitada".


ENTENDENDO O SISTEMA FINANCEIRO


Vamos ficar ricos? É facinho, facinho...

Primeiro, a gente monta uma banquinha no mercado e se oferece pra guardar o dinheiro pras outras pessoas - sabe como é, é complicado andar por aí com os bolsos cheios com tanto assalto e tudo o mais...

Aí, a gente pega esse dinheiro e começa a apostar por aí: aposta se o preço do açúcar vai subir ou não, aposta se o café vai vender mais, aposta de o preço da gasolina vai duplicar... vai jogando. Quanto maior o azarão, mais a banca paga de volta: apostar que um montão de gente vai financiar a casa própria se as prestações couberem no orçamento mesmo que os juros vão aumentando até o ponto em que as prestações já não caibam mais no orçamento, por exemplo, paga muito mais que apostar que a Petrobrás vai ter muito lucro ano que vem; já que o contraria o mínimo bom senso.

Nesse meio tempo, pra impedir que as pessoas que deram o dinheiro pra gente guardar tirem o dinheiro todo assim de uma vez (já que esse dinheiro não está mesmo nos nossos cofres, mas nas bancas de apostas espalhadas por aí), a gente cria algumas regrinhas, pra complicar: tem que avisar dias antes de sacar, tem que pagar uma taxa cada vez que for mexer no dinheiro, etc... isso tudo para a própria segurança dos nossos clientes; ao mesmo tempo que cria certas "facilidades" como um cartão plástico que elas podem usar ao invés de dinheiro, ou um bloquinho que elas podem preencher pra pagar contas - e se cobra uma taxinha por isso, é claro: lembre que sempre é preciso cobrar, porque, afinal, dinheiro não sai de graça.

E continuemos jogando, e apostando cada vez mais alto: quanto mais alto e arriscado apostar, mais a gente ganha pra gastar em carros, aviões, barcos, mansões, férias na europa, e fotos nas colunas sociais - quanto mais disso tiver, mais "credibilidade" a gente ganha com as pessoas que botam o dinheiro no cofrinho pra gente "cuidar".

É preciso lembrar também de cuidar das nossas "instalações": erguer prédios enormes com um baita logotipo na fachada (de mármore, de preferência) e pinturas e obras de arte bem caras espalhadas por todos os cantos; contratar uma legião de gente "séria" e bem vestida, fazer muita, mas muita propaganda e merchandising, apoiando eventos culturais e esportivos - tudo isso com o dinheiro que nos deram pra guardar, porque os lucros que auferirmos, a gente vai guardando num outro cofrinho especial, bem guardadinho, de preferência na Suíça. Com esse dinheiro, a gente não aposta nunca, ok? É importante lembrar que só se joga com o dinheiro dos outros, nunca o nosso.

Oooops, não deu o azarão? A safra de café foi recorde e o preço baixou? As pessoas deixaram de pagar as prestações e agora as financiadoras não têm dinheiro nem pro cafezinho?

Não esquenta: a gente chama os outros banqueiros e os amigos da imprensa. Se todo mundo gritar bem alto e juntinho, os governos correm a tapar os buracos com o dinheiro dos impostos que as pessoas pagam - como a gente paga muito pouco não está nem aí.

Aí é só botar as barbas de molho por um mês ou dois, fingindo que estamos fazendo a lição de casa; que logo que a poeira baixar volta tudo a ser do jeito que era antes e a gente pode de novo apostar no azarão, com a certeza que vai sempre sair rindo e com alguns milhões e mais pra acumular bem guardadinhos na Suíça.

CRÔNICA DE UMA MORTE ANUNCIADA


Ela podia ser eu, você, sua prima, sua vizinha... Tinha dois filhos e estava reconstruindo a vida depois de uma relação frustrada, como acontece a tantas de nós.

Tudo acabou na madrugada de ontem, quando um incêndio criminoso vitimou Cinara e seus dois filhos - Rafael, 10 anos e Eduarda, 6.

A polícia suspeita do ex-marido contra quem ela havia registrado várias queixas de agressões físicas.

Não é o primeiro caso e, infelizmente, não será o último.

Quando é que as "autoridades" vão entender que o registro de queixa na delegacia já é o último recurso da mulher vítima de ameaças e/ou agressões, que representa, objetivamente, uma situação de risco imediato à integridade física dessas mulheres e suas proles?

Cinara (bem como a grande maioria das vítimas desse tipo de crime hediondo) havia buscado amparo no Estado que ela, como eu e você, sustentava com seu voto, e pelos impostos e taxas que pagava.

Este limitou-se a arquivar suas queixas, permitindo que a escalada de ameaças, abusos e agressões prosseguisse impunemente. Agora a polícia caça o criminoso. A história de Cinara e suas crianças não devia ter acabado assim.

Até quando?

4 de out de 2008

(IG)NÓBEIS


EFE
Alicia Moreno
Redação Central, 4 out


O suposto efeito espermicida da Coca-Cola ou a valiosa demonstração de que as pulgas saltam mais sobre os cachorros do que sobre os gatos estão entre os avanços científicos publicados por prestigiosas revistas e que foram agraciados este ano com os Ig Nobel.

Os prêmios, concedidos anualmente pela revista de humor "Annals of Improbable Research" e considerados os anti-Nobel, foram divulgados ontem à noite durante uma festa na Universidade de Harvard, em Massachusetts.

Apesar do nome (que faz referência irônica à imunoglobulina ou Ig), as pesquisas premiadas são sérias. Para concorrer ao prêmio, não vale qualquer coisa. Nas categorias de ciências, por exemplo, os trabalhos têm que passar pelo rigoroso exame de outros cientistas especialistas no tema.

Para comprovar sua seriedade, as pesquisas contempladas neste ano foram publicadas em revistas renomadas como "Nature", "Proceedings of the National Academy of Sciences" e "New England Journal of Medicine".

Os ganhadores na 18º edição dos Ig Nobel foram, por categorias, os seguintes:


(Atenção, porque tem brasileiro na parada... Finalmente um Nobel tupiniquim!!!)

Paz: O Comitê Federal de Ética da Suíça sobre Biotecnologia Não-Humana e os suíços por aprovarem em abril o princípio legal de que as plantas têm dignidade.

Literatura: O britânico David Sims, da Cass Business School de Londres, por seu estudo, apaixonadamente escrito, "You Bastard: A Narrative Exploration of the Experience of Indignation within Organizations" (Você, seu bastardo: Uma Exploração Narrativa da Experiência da Indignação dentro das Organizações).

Medicina: O americano Dan Ariely, por demonstrar que a medicina falsa, porém cara, funciona melhor que a medicina falsa e barata. Publicou seu estudo no "Journal of American Medical Association".

Ciências cognitivas: Os japoneses Toshiyuki Nakagaki, Hiroyasu Yamada, Ryo Kobayashi, Atsushi Tero e Akio Ishiguro, e o húngaro Agota Toth, por demonstrarem na "Nature" que o mofo mucilaginoso pode resolver quebra-cabeças.

Nutrição: Maximiliano Zampini (Universidade de Trento) e Charles Spencer (Universidade de Oxford), por demonstrarem que a comida é melhor se é crocante, em um estudo publicado no "Journal of Sensory Studies".

Biologia: Marie-Christine Cadiergues, Christel Joubert e Michel Franc, da Escola de Veterinária de Toulouse (França), por demonstrarem que as pulgas saltam mais sobre os cachorros do que sobre os gatos, em artigo na "Veterinary Parasitology".

Química (partilhado): Os americanos Sheree Umpierre, Joseph Hill e Deborah Anderson, por descobrirem que a Coca-Cola é um eficiente espermicida, publicado no "New England Journal of Medicine", e os taiwaneses C.E. Hong, C.C. Shieh, P. Wu e B.N. Chiang, por descobrirem justo o contrário e publicá-lo na "Human Toxicology".

Física: Os americanos Dorian Raymer e Douglas Smith, por provarem que um montão de cordas e cabelos acabam se embaraçando e formando nós, na "Proceedings of the National Academy of Sciences".

Arqueologia: Astolfo Gomes de Mello Araújo e José Carlos Marcelino, da Universidade de São Paulo (USP), por descobrirem até que ponto os tatus podem destruir os restos de uma escavação arqueológica. A pesquisa foi publicada na "Geoarchaeology".
(Viu, não falei??)

Economia: Geoffrey Miller, Joshua Tyber e Brent Jordan, da Universidade do Novo México (Estados Unidos), por descobrirem que os lucros de uma dançarina de striptease dependem de seu ciclo menstrual. A pesquisa foi publicada na "Evolution and Human Behavior".

(Os grifos e comentários entre parêntesis são meus)

E pensar de muito do que foi "pesquisado" acima passou pelo crivo de juntas e colegiados resposáveis pela disponibilização de verbas para o "progresso da ciência".

TÁ DIFÍCIL


Não bastasse ter que lembrar quem pediu o quê onde e quando e aguentar a chateação da clientela, garçom brasileiro ainda tem que se virar pra driblar a ganância dos donos de bares e restaurantes.

É que segundo o SINTHORESP (Sindicato dos trabalhadores de bares e restaurantes), citado pela Folha ontem, 70% dos estabelecimentos não repassam aos garçons as gorjetas deixadas pela clientela. Isso mesmo: 70% dos bares e restaurantes no Brasil embolsam a gorjeta dos garçons. Dos 30% que repassam, 2/3 não registram em carteira - vai por fora. Que legal!

Por isso, prezado leitor, se tem aquele garçom genial no bar que você frequenta, aquele cara que sempre lembra de dar o colarinho certo no seu chopp; da próxima vez que for dar gorjeta, pague o consumo no cartão e dê os 10% em dinheiro, assim você terá certeza de estar premiando o garçom e não o gorducho por trás da caixa registradora.

ELES VÃO DEIXAR SAUDADE


Chega ao fim a etapa brasileira da grande marcha dos pinguins desgarrados. Enquanto escrevo este blog, a equipe do CRAM em Rio Grande começa a devolvê-los ao mar.

Nunca antes uma operação de resgate da faunda envolveu tantas pessoas - e não falo só de biólogos, do IBAMA e dos bombeiros, mas de pessoas comuns -, neste país.

O planeta agradece às centenas de anônimos. Faço minha parte postando aqui uma pequena coletãnea de registros feitos por essas pessoas.

São Francisco do Sul:



Cabo Frio:





Arraial do Cabo:



Porto Seguro:





Itaparica:



Vila Velha:




Valeu, pessoal!

TOUPEIRAS


Leio na Folha de hoje a seguinte manchete:

Federação de cegos dos EUA pede boicote a "Ensaio sobre a Cegueira"

"Os cegos aparecem no filme como incompetentes, sujos, viciados e depravados. São incapazes de fazer as coisas mais simples, como se vestir, se lavar e encontrar o banheiro. A verdade é que as pessoas cegas normalmente fazem as mesmas coisas que as que podem ver", disse Marc Maurer, presidente da NFB em comunicado.

Às vezes a gente se surpreende com a capacidade humana para a estupidez.

Num esforço para me ater a estreiteza de visão (com o perdão do trocadilho) do presidente da NFB; pelo que sei da trama do filme, o fato de os cegos serem retratados como o são é perfeitamente crivel: se os membros da NFB são autônomos e capazes de equiparar-se a pessoas ditas "normais" é porque anos de treinamento assim o possibilitaram. Não é o caso das personagens de Saramago, vitimas de uma subita e avassaladora epídemia. Não precisa ser nenhum Einstein pra deduzir que se você ficar cego de uma hora pra outra vai ficar muito difícil se virar por aí. Qualquer um que tenha feito um exame de fundo de olho sabe bem do que eu falo.

Nem a Disney (por sinal distribuidora do filme através da Miramax), compraria o mundo encantado de bilhões de novos-cegos miraculosamente capazes de se vestir, cozinhar, pegar o ônibus e ir trabalhar como se nada tivesse acontecido.

Não vou nem argumentar que o livro de Saramago é uma metáfora - metáforas estão a cada dia mais distantes da capacidade de compreensão do fanáticos pregadores do fundamentalismo politicamente correto.

3 de out de 2008

NA RETA FINAL...?


Se o apagão permitir, a longa jornada dos pinguins baianos, sergipanos, pernambucanos, alagoanos e capixabas vai finalmente continuar:

03/10/2008 - 07h19
Pingüins-de-magalhães iniciam jornada de volta ao lar
Aurelio Nunes
Especial para o UOL
Em Salvador (BA)


Os pingüins-de-magalhães que invadiram as praias do litoral da Bahia durante o inverno começaram a fazer o caminho de volta à Patagônia na madrugada desta sexta-feira, 3.

Sob os cuidados de oito tripulantes e 12 ambientalistas, os 399 ilustres passageiros embarcaram a bordo de um turbo-hélice Hercules C-130 da Força Aérea Brasileira (FAB) que decolou da Base Aérea de Salvador à 1h30 e tinha previsão de chegada no aeroporto de Pelotas-RS às 6h45.

Logo após o desembarque, estava programado o transporte das aves de caminhão por mais 60km até a sede do Centro de Recuperação de Animais Marinhos (Cram), onde descansarão o restante do dia. No sábado, Dia Mundial dos Animais, as aves serão soltas na Praia do Cassino, de onde se espera que reencontrem o caminho de volta ao lar pela corrente das Malvinas.

O restante da viagem terá de ser feita com as próprias asas - que no caso particular dos pingüins não servem para voar e funcionam como barbatanas. Todos os viajantes receberam nas patas anilhas Centro de Conservação de Aves Silvestres (Cemave) para futuro monitoramento.

"É a maior operação de translocação de animais de que se tem notícia no Brasil", diz o coordenador do Instituto de Mamíferos Aquáticos (IMA), Luciano Reis. Uma operação que mobilizou mais de mais de 50 pessoas, entre militares da base Aérea de Salvador e do 1º Grupo de Transporte de Tropa da Base Aérea dos Afonsos-RJ, de onde veio a aeronave da FAB, além de funcionários da Petrobras, que providenciou o transporte terrestre, do Ibama, do IMA e da ONG Ifaw (Fundo Internacional para Proteção dos Animais em seu Habitat).

O vôo atrasou exatas 41 horas e 30 minutos. Era para ter deixado a base aérea de Salvador às 8h de quarta-feira, 1º de outubro, mas um problema no trem-de-pouso da aeronave provocou sucessivos adiamentos na viagem. Um atraso providencial, pois acabou permitindo a inclusão de 69 aves que não poderiam viajar porque não tinham passado no teste de impermeabilidade da plumagem, cuja finalidade é avaliar a capacidade que as aves têm de se protegerem da hipotermia.

O contingente de pingüins que embarcou nesta sexta-feira não representa um quarto dos 1.650 animais resgatados apenas na Bahia. Desse contingente, 90 aves sem condição de viajar continuarão em tratamento na sede do IMA, em Salvador. Doentes, fracas e feridas, a maioria delas está condenada a passar o resto da existência em cativeiro. Tiveram mais sorte que as 309 que morreram na sede do IMA e as 852 que não resistiram à viagem de mais de 3 mil quilômetros empreendida desde os litorais da Argentina, Chile e Ilhas Malvinas e já foram encontradas mortas.

De minha parte, só uma palavra: ALELUIA!!!

VAMOS E VENHAMOS


O Supremo proibiu a contratação de parentes nos três poderes. Palmas pra ele. Já não era sem tempo.

Mas aí vem um espertinho chamado Covatti, dum partidinho chamado "Progressista" e dá um jeitinho: demite os cunhados e contrata no lugar as mulheres deles.

Que cara de pau, deputado! E ainda dá entrevista pra tudo quanto é rádio e televisão, todo pomposo, justificando o mau-caratismo sem o menor constrangimento, todo cheio de razão!

Sinceramente, tô de saco pra lá de cheio dessa gentalha: PORRADA NELES!

E porrada a gente dá no voto: já tá mais que na hora de se encarar a política como um negócio sério: assessor de político deve ser escolhido pela capacitação e competência mais do que por inclinações pessoais. Quem é que não conhece aquele primo ou mesmo irmão de político que fez fortuna na vida trocando favores? Essa polititica só beneficia aos clãs desses políticos e impede que esse país caminhe pra frente.

E tenho o dito.

2 de out de 2008

TIRO NO PÉ


A aparente esperteza marketeira dos republicanos de escolher uma mulher jovem e bonita para vice está complicando ainda mais as coisas pro lado da capanha do thunberdirb McCain.

60% dos yankees desconfiam que a moça não está preparada para a tarefa e, ainda mais, temem que aos 72 anos o velho senador não segure bem a montanha-russa da Casa Branca - o que os deixaria nas mãos da moçoila amiga dos fabricantes de armas e defensora dos autênticos "valores cristãos".

Antes dela abrir a boca numa série de entrevistas há um mês atrás, os yankees a avaliavam tão bem como McCain ou Obama - com cerca de 45% de ceticismo.

É surfando nessa marola que a moçoila vai agora enfrentar a velha raposa que os democratas escolheram para vice (Biden é senador pelo 6° mandato consecutivo e atual chefe do Comitê de Relações Exteriores do senado); no único debate a ser travado entre os dois.

De minha parte, já comprei um saco de batatinhas e estou esquentando o sofá: o debate promete ser muito divertido.

MERCHANDISING

Há cerca de 10 dias, de hora em hora o UOL Notícias apresenta a seguinte manchete como se fosse parte do noticiário da Folha Online:

Aprenda a usar as novas regras ortográficas da língua portuguesa, com livro do Instituto Houaiss

Isso já tá me dando nos nervos.

Pior ainda que notícia requentada, é merchandising travestido de notícia requentada.

ATÉ ONDE VAI A PARANÓIA

Tá nos jornais de hoje:


A pequena cidade de Molfsee, no Estado de Schleswig-Holstein, na Alemanha, quer proibir o Google de fazer imagens para o serviço Street View, do Google Maps. O sistema fornece fotografias panorâmicas detalhadas dos locais em que está disponível. De acordo com a cidade alemã, a ferramenta facilita a ação de criminosos.

Detalhe: Molfsee tem 5 mil habitantes.

Das duas uma: ou o pessoal lá dorme em colchões forrados de grana, ou a paranóia tá comendo soltinha soltinha.

OS PINGUINS E O APAGÃO


Pra ver que o apagão não atrapalha só a vida da gente: depois de sobreviverem ao stress de se perderem do grupo, indo dar na quente e ensolarada Bahia de Todos os Santos; sobrevivendo às agruras dos trópicos graças ao empenho e dedicação de ONGs e voluntários; os 259 pingüins liberados para a viajem de volta à Patagônia agora ainda têm que suportar as agruras da inépcia que impera no sistema de aviação brasileiro.

Por "problemas técnicos", o avião da FAB (um Hércules C130) que os traria de Salvador para Pelotas, e que estava previsto para partir ontem, dia 1°; só levantará vôo hoje no começo da tarde. Não há menção às condições a que estão submetidos durante essa espera. Imagino que o pessoal das ONGs que tanto se dedicou deve ter corrido para providenciar algum alimento e refrigeração. Enquanto isso, o caminhão refrigerado que os levará do aeroporto de Pelotas ao CRAM (Centro de Recuperação de Animais Marinhos) de Rio Grande, fica de prontidão.


Para os cerca de 71 (os números cariam entre 71 e 73 conforme a publicação) pinguins resgatados na orla capixaba, ao apagão aéreo, soma-se o apagão da imprensa:

Segundo alguns jornais, os pingüins estariam inicialmente previstos para embarcar num vôo direto da VARIG Cargo no dia 25 de setembro, tendo sido "re-escalonados" para um vôo da TAM Cargo com escala em São Paulo que teria partido de Vitória por volta da meia-noite do dia 26. O vôo de fato ocorreu, e 30 minutos depois da escala, o avião precisou retornar a São paulo devido a uma pane, mas como há relatos de passageiros sobre o incidente, desconfio que não se tratava do mesmo vôo dos pingüins (a não ser que a TAM Cargo agora transporte passageiros também).

Segundo outros ainda, teriam seguido num outro vôo da TAM para o Rio Grande do Sul, e a essa altura já se encontrariam em Rio Grande.

Num forum de aviadores, encontrei o que me pareceu a informação mais confiável:

A empresa (TAM) transportará os animais de Vitória (ES) até Salvador (BA) na madrugada desta terça (30/09). De lá, as aves seguirão para o Rio Grande do Sul em aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB).

O avião com os pingüins deve sair às 0h30 de Vitória, em vôo direto para Salvador, pousando às 1h35. Depois, a FAB levará as aves até Pelotas (RS).


Portanto, os 71 (ou 73) pingüins capixabas estariam a essa altura em Salvador, esperando com a turma dos baianos a liberação do Hércules que os trará a Pelotas hoje à tarde.


ÊTA CONFUSÃO!!


Pra encerrar este post: os pingüins que não foram considerados aptos para o retorno à natureza (do total de 1000 animais resgatados 421 sobreviveram e destes apenas 259 foram considerados aptos para nadar de volta à Patagônia), permanecerão sob os cuidados dos técnicos do IMA até a destinação final. A divisão técnica Ibama na Bahia está responsável pelos estudos e negociações que envolvem esta destinação, que pode ter como encaminhamento instituições cientificas, zoológicos, etc.

1 de out de 2008

AS APARÊNCIAS ENGANAM

Que a coragem do Bem-Te-Vi nos inspire a lutar mesmo quando o "inimigo" parece desproporcionalmente maior...

De quebra, um pagode do Bezerra da Silva, pra matar a saudade.

VIVA O LIBERALISMO DEMOCRÁTICO!


Dentro do mais genuíno espírito liberalista-democrático, a municipalidade de Porto Alegre governa para a maioria, não as excessões.

Tome-se a temporização dos semáforos para pedestres como exemplo: numa tacanha tentativa de reduzir congestionamentos, a temporização dos semáforos para pedestres foi reduzida ao tempo mínimo necessário para uma pessoa normal percorrer a distância entre as duas calçadas.

Idosos, mães levando crianças pela mão e pessoas com dificuldades de locomoção precisam contar com a educação dos motoristas para finalizar a travessia. O que costumam receber é muito xingatório e buzinaço, quando não são confrontados pelos roncos de motores que arrancam e freiam numa ameaça velada.

Na esquina da Ramiro com a Independência, o pedestre tem cerca de 12 segundos para percorrer os 10 metros que o separam da calçada oposta. Diz a Zero Hora: Os 12 segundos para os 10 metros de pista são suficientes para a maioria, desde que se comece a caminhar no momento em que surge a luz verde.

Na esquina da Sarmento Leite com a Osvaldo Aranha, um dos cruzamentos de trânsito mais intenso da cidade, o pedestre tem cerca de 17 segundos pra completar uma travessia de 16 metros.

O que diz a EPTC?


É claro que é uma média. Pessoas mais velhas ou com deficiência podem ter dificuldade, mas temos de ter uma referência. Gostaríamos de oferecer uma margem maior, mas o número de carros e os congestionamentos nos obrigam, cada vez mais, a ficar no limite permitido, jamais abaixo dele.


É o pensamento liberalista em ação. Velhos, crianças e deficientes representam um vermelho no custo-benefício de qualquer administração pública com suas necessidades especiais mais os tratamentos médicos, remédios e pensões; ao mesmo tempo em que se encontram à margem da dita "cadeia produtiva". Curto e grosso: velho, criança e deficiente não tem valor de mercado. E isso, na cabeça do liberal se traduz ainda mais resumidamente em NÃO TEM VALOR, PONTO.

Entre os anos 70 e 80, admiramos de olhos escancarados os avanços do primero mundo no sentido de uma JUSTIÇA SOCIAL. Admiramos tanto, que lutamos para adotá-los, e, nesse sentido, em meados da década de 90 evoluímos como sociedade trazendo de volta às ruas os idosos e deficientes até então condenados a uma vida de reclusão, isolamento e, em alguns casos, execração social. Elevamos também o status das crianças, até então vistas e entendidas como "folhas brancas" nas quais a sociedade viria a imprimir suas crenças e valores.

Mas eis que os liberais entraram em cena. Laissez faire, laissez passer... Trazemos uma nova revelação! - disseram eles - o mercado é uma divindade com poderes de geração e regeneração; capaz de se auto-gerir e auto-resolver sem a necessidade da intervenção de políticos ou meros mortais. O mercado é a resposta para as mais profundas angústias e inquietações do homem, e o consumo a panacéia para todos os males sejam físicos, emocionais ou morais. O mundo "ocidental" entrou de cabeça nessa baboseira.

E nisso, quando nos achávamos às portas da Era de Aquário (onde confiança, solidariedade, entendimento, paz, igualdade e harmonia haveriam de reinar entre os homens), no limiar do 3° Milênio, RECUAMOS 200 ANOS NA HISTÓRIA.

Oh, não? Pois saiba você: o liberalismo, como idéia, é tão moderno quanto Adam Smith, seu idealizador, que viveu na Escócia de 1723 a 1790, no alvorecer da Revolução Industrial. Isso mesmo: é VE-LHO. Bota velha nisso, mais velho que a Rainha Vitória (1819-1901). Sua retórica serviu pra justificar muitas das barbaridades que a gente leu em livros como Oliver Twist (1838). Pra não falar das barbaridades que temos visto recentemente.

Por isso, caro leitor, começe a usar o músculo que traz acima do pescoço. Ideologia não é coisa do passado, nem muito menos uma entidade etérea a pairar dissociada do cotidiano.

A ideologia influencia toda a qualquer ação humana, particularmente na administração pública. É a partir dos seus repertórios de convicções que os administradores e políticos decidem o que acham ser melhor para eu ou você.

E eles tem, sim, o poder de transformar nossas vidas num inferno, porque nos afetam em coisas grandes e pequenas, desde a prosperidade da nação como um todo até as coisas pequenas como o stress de ter que atravessar as ruas correndo como um louco pra não ser atropelado entre a casa e a farmácia.